Síndrome da taquicardia postural, o que é?

 

POTS Síndrome da taquicardia postural

 

Você conhece alguém ou atende alguém que toda vez que muda de posição reclama estar tonta? Olhe mais de perto para estes sintomas


– Fadiga
– Ansiedade
– Intolerância ao exercício
– Dores musculares
– Manchas ou descoloração nas pernas
– Falta de ar
– Tonturas
– Dor nas pernas ou pés
– Cérebro nebuloso (brain fog) – confusão mental
– Problemas digestivos
– Mãos ou pés frios
– Problemas de equilíbrio
– Náuseas
– Dores de cabeça
– Sudorese anormal
– Problemas Ginecológicos

Obs: Os sintomas podem piorar com o calor e após o banho.

Eu ja tive aluno que caiu desmaiado no banho e la ficou ate acordar… se começar a lembrar de seus pacientes vários relatos começarão aparecer.

Nunca apareceu uma Maria que tinha uma  fadiga profunda que mal conseguia fazer a sua cama na parte da manhã. Permanentemente, por qualquer período prolongado de tempo, sentia dor em suas pernas e sua cabeça girava. E todo mundo acha ela mole, fresca e familiares passam ate desvalorizar ela porque apesar de várias visitas ao médico e numerosos exames, ninguém explica o porque destes sintomas.
A dona Maria pode estar com Síndrome da Taquicardia Postural Ortostática (POTS), uma condição que afeta o fluxo de sangue através do corpo, resultando em fadiga, ansiedade e tonturas quando se está de pé. Os sintomas desaparecem depois que a pessoa deita.  Esse distúrbio permanece amplamente desconhecido para grande parte do público.

Está estimado que cerca de 500000 norte­americanos padeçam de algum grau de intolerância ortostática. Apesar desta realidade, estas doenças são raramente diagnosticadas e dentro das patologias do sistema nervoso autónomo as de maior dificuldade de diagnóstico.

Estas alterações afectam essencialmente jovens, sobretudo antes dos 35 anos, e são mais frequentes no sexo feminino. O início da sintomatologia é geralmente súbito e o impacto na qualidade de vida e no trabalho quotidiano é significativo. Frequentemente, o diagnóstico destas patologias passa despercebido, sendo geralmente atribuídas a problemas do foro psiquiátrico, devido à natureza da sintomatologia. lembra a Maria que todos passaram achar que ela uma chata que supervaloriza seus sintomas, uma fresca e sem preparo que somente encostar nos filhos, marido e colegas de trabalho.

A posição de supino resulta numa série de respostas posturais reflexas, reguladas pelos ramos do sistema nervoso autónomo e baroreflexos arteriais e mecanoreceptores cardiopulmonares, na tentativa de compensação do efeito da gravidade na distribuição do volume sanguíneo. Nestas patologias existe uma resposta inapropriada à mudança da posição corporal de decúbito para supino.
A resposta adaptada à mudança de posição do corpo humano consiste na estabilização das variáveis hemodinâmicas para a posição de supino em aproximadamente 60 segundos.

Durante este processo, a frequência cardíaca aumenta cerca de 10 a 15 batimentos por minuto, a pressão diastólica aumenta cerca de 10mmHg, com apenas uma ligeira flutuação da pressão sistólica.

Os indivíduos que padecem de Intolerância Ortostática, têm um aumento exagerado e excessivo da frequência cardíaca na posição de pé, de maneira a que o sistema cardiovascular necessita de trabalho suplementar para manter a pressão arterial e o fluxo cerebral adequados e constantes.
A passagem à posição de supino (ortostática) também influencia uma resposta neuro­humoral, levando a alterações nos níveis de vasopressina, renina, angiotensina e aldosterona – todas elas envolvidas na regulação da pressão arterial.

Adicionalmente, os baroreceptores arteriais, particularmente os situados no seio carotídeo, possuem um papel importante na regulação da pressão arterial e nas respostas reflexas às alterações da postura (2). À medida que o coração bombeia o sangue para a aorta, a aurícula esquerda é preenchida passivamente como resultado da força exercida pela pressão venosa sanguínea. Os receptores localizados na aurícula esquerda respondem, proporcionalmente, à pressão exercida pela pressão venosa central. Por consequência, uma queda nessa pressão venosa levará ao despertar de uma resposta compensatória na tentativa de aumentar a pressão arterial.

Qualquer alteração nestes processos, ou na sua integração, poderá resultar numa resposta inapropriada à modificação da postura para ortostatismo, levando a sintomas incapacitantes, incluindo síncope.

 Prognóstico

A maioria dos doentes afetados com os Síndromas de Intolerância Ortostática rapidamente sentem melhorias no seu estado clínico e apenas tem sintomatologia ligeira. Contudo, em alguns casos, esta situação torna­-se muito debilitante, lançando um desafio importante no tratamento efetivo. Investigações adicionais nas premissas que estão na base destas alterações são necessárias para o desenvolvimento de uma estratégia terapêutica mais eficaz,nomeadamente na pesquisa de alterações do sistema nervoso autónomo e dos baroreflexos.

Para muitos, as alterações provocadas por estas patologias parecem ser de duração relativamente breve, enquanto que noutros, existe uma progressão da natureza da doença, podendo ocorrer um agravamento da sintomatologia.

Causas e tratamento 

Seu início pode ser após uma doença viral, gravidez ou trauma. Pode estar relacionado a distúrbios do tecido conjuntivo e articulações soltas / hipermóveis, uma vez que estas condições podem impedir que os vasos sanguíneos funcionem normalmente. Existe provavelmente um componente genético; POTS geralmente ocorre em famílias.

Diagnóstico de POTS é o primeiro passo para o bem-estar, uma vez que introduz um plano de tratamento. Hidratação adequada, modificações de estilo de vida e exercício estão na vanguarda do tratamento. Recomenda-se que os pacientes bebam dois litros de água diariamente, um tratamento simples que normalmente mostra resultados imediatos.
O exercício é a pedra angular da melhoria a longo prazo; ajuda a manter a vascularização e minimiza os sintomas. Enquanto a tolerância ao exercício é muitas vezes baixa inicialmente, melhora com paciência e perseverança e muitas vezes permite que uma pessoa possa reduzir ou interromper a medicação.
Meias de compressão (ou calças) podem ser uma saída barata para uma rápida melhora. A ingestão adequada de sal é importante. Os comprimidos de sal são usados ​​para ajudar a manter o estado do fluido. Os pacientes são orientados a evitar a permanência prolongada em pé;  elevar a cabeceira da cama ao dormir e para minimizar os medicamentos que dilatam os vasos sanguíneos. Técnicas de relaxamento diário são úteis, assim como evitar o álcool.
Alterações dietéticas, como comer refeições pequenas e freqüentes, remover glúten e laticínios e diminuir a ingestão diária de carboidratos, muitas vezes são úteis, dependendo do paciente. A cafeína pode ajudar alguns pacientes POTS e piorar os sintomas em outros.
A D. Maria ou  Sr. Jose que apresenta encontra todo o suporte para seu tratamento aqui no estúdio, temos um protocolo ideal para que se possa melhorar quando e principalmente incentivar o abandono do sedentarismo. Nosso protocolo vai alem do pilates, usamos técnicas do pilates e outras tantas que estimulem melhora cardio-respiratoria.

BIBLIOGRAFIA

1. Low PA, Opfer­Gehrking TL, Textor SC, Benarroch EE, Shen WK, Schondorf R, Suarez GA, Rummans TA. Postural tachycardia syndrome (POTS). Neurology 1995;45(suppl 5):S1 9­S25.
2. Fouad FM, Tadena­Thome L, Bravo EL, Tarazi R. Idiopathic Hypovolemia. Annals of Internal Medecine 1986;104: 298­303.

3. Freitas J. Influência do reflexo baroreceptor arterial e da modulação do sistema nervoso autónomo na regulação da homeostasia cardiovascular. Tese de Mestrado em Medicina Desportiva. Faculdade de Medicina do Porto, 1998.
4. Low PA, Opfer­Gehrking TL, Textor SC, Schondorf R, Suarez GA, Fealey RD, Camilleri M. Comparasion of the postural tachycardia syndrome (POTS) with orthostatic hypotension due to autonomic failure. J Auton Nerv Syst 1994; 50:181­8.
5. Rosen SG, Cryer PE. Postural Tachycardia Syndrome. Reversal of Sympathetic Hyperresponsiveness and Clinical Improvement During

http://www.dysautonomiainternational.org/page.php?ID=30

Deixe uma resposta