Qual relação entre auto-compaixão e saúde?

autoaa

 By Alvaro Alaor

Todos temos o estresse em nossas vidas, o motivo pode ser deslocamento diário( trânsito), as pressões no local de trabalho ou problemas de relacionamento. Mas a forma como lidamos com o que causa o estresse pode afetar nossa saúde e longevidade.

 
Em um artigo recentemente publicado na Brain, Behavior and Immunity , pesquisadores da Universidade de Brandeis relataram que encontraram uma ligação entre uma atitude de auto-compaixão e menores níveis de inflamação induzida pelo estresse. A descoberta pode levar a novas técnicas para reduzir o estresse e melhorar a saúde.

O documento é de autoria do professor de psicologia Nicolas Rohleder, com pós-doutorados Juliana Breines e Myriam Thoma e estudantes de pós-graduação Danielle Gianferante, Lucas Hanlin e Xuejie Chen.
Sabemos que o estresse psicológico pode desencadear respostas biológicas semelhantes aos efeitos da doença ou lesão, incluindo a inflamação. Embora a inflamação regulada pode ajudar a evitar a infecção ou promover a cicatrização, a inflamação desregulada pode levar a doenças cardiovasculares, câncer e Alzheimer.

 

A auto-compaixão descreve comportamentos tais como a auto-perdão, ou, mais coloquialmente, se permitir alguma folga. Uma pessoa com altos níveis de auto-compaixão não  se culpa pelo estresse além do que ele pode controlar. Isso significa que ela entende, por exemplo, fatores de violência na sociedade, mas é um fator externo a pessoa e compreende e se resguarda dentro do seu limite de controle, não ficam remoendo o que não podem mudar. Pessoas com auto compaixão podem se disponibilizar a estarem em um  discussão que não passa disso,  e  não se detém  sobre esta discussão além do necessário, por dias.

 

Uma pessoa que tem auto-compaixão, sabe que somente ela é responsável por tudo que  acontece com ela  em sua existência física, e para isso ela trabalha para resolver os seus problemas, e não sai comprando “modinhas”, receitas e achismos pops, sabe  o que funciona para um não funciona para ela. Aceita os fatos e vai a luta e não fica remoendo e atribuindo a culpa de todos os problemas a fatores externos que ele não pode resolver  e que depende de outra pessoa para a solução.  Eu não vou mudar uma pessoa violenta, ou manipuladora, vou aceitar esta pessoa e me resguardar para que as atitudes destes afetem menos a minha vida.

Para entender a ligação entre a auto-compaixão e resposta inflamatória ao estresse, Rohleder e sua equipe pediu 41 participantes para classificarem os seus níveis de auto-compaixão. Os participantes avaliaram sua concordância com afirmações como: “Eu tento ser compreensivo e paciente em direção a aspectos de minha personalidade que eu não gosto” e “Eu  desaprovo a crítica sobre as minhas próprias falhas e inadequações.”

Em seguida, os participantes fizeram um teste de estresse por dia durante dois dias e os níveis de interleucina-6 (IL-6), um agente inflamatório ligado ao estresse, foram registrados antes e depois de cada ensaio. Após o primeiro teste de estresse, os participantes com maior auto compaixão tinham níveis significativamente mais baixos de IL-6. No segundo dia, Rohleder e sua equipe descobriram algo inesperado. Aqueles com baixa auto compaixão tinham níveis de base mais elevados  de IL-6 antes do teste, o que sugere que eles podem ter socorrido eventos de   estresse  no dia anterior.
“As altas respostas de IL-6 no primeiro dia e os níveis basais mais elevados no segundo dia sugerem que as pessoas com baixa auto-compaixão são especialmente vulneráveis ​​aos efeitos adversos deste tipo de estresse”, diz Rohleder.

A pesquisa ilustra o quão é fácil  para o estressado, ao longo do tempo, e com um estressor diário aparentemente pequeno, como tráfego, ter a sua saúde afetada , se ele não têm as estratégias adequadas para lidar com estes agentes estressores.
“Esperamos que esta pesquisa possa proporcionar modos mais eficazes para lidar com o estresse e reduzir as doenças, não só por aliviar emoções negativas, mas, fomentando idéias positivas de auto-compaixão “, diz Rohleder.

 

Que tal realizar, começar a partir de agora, deste minuto a praticar atividades que levem ao seu auto conhecimento, auto controle. Pilates, meditação, Yoga, correr, andar, estar com você,  se desconectar do mundo virtual dos celulares e tablets. Que tal se permitir estar em uma aula de Pilates sem estar com celular, basta estar conectado em você mesmo. É esta uma das funções da pratica, mas se você pratica ligado no celular você já quebra um  dos princípios, a concentração. Vamos a luta, ao auto controle? Você somente tem a ganhar saúde, novas conexões cerebrais e VIDA.

 

P.S. Auto compaixão é oposto a pessoas que se julgam fracas e dependentes de outras para tudo. “Eu não consigo, eu não tenho dinheiro, eu não posso”.  As pessoas mais formidáveis da história que produziram fatos que mudaram a civilização todas aprenderam a se superarem. Elas não esperaram nada dos outros, da natureza, do governo, elas fizeram por conta própria.

Alvaro Alaor Pilates SHIS QI 13 Bloco E salas 13/14, lago Sul, Brasília Fone: 61- 9385-3838

 

Fonte http://www.journals.elsevier.com/brain-behavior-and-immunity/

 


Deixe uma resposta