A prática faz a perfeição?


Muito técnicos e mentores esportivos dizem que “ a pratica faz a perfeição”, mas será que isso é verdadeiro? Seria mais correto dizer que a pratica correta leva a perfeição. Os esportes que requerem altos níveis de habilidades motoras são praticados de forma casual, envolvendo o atleta ou o jogador em uma técnica de exercícios pobres, estes exercícios serão gravados nos mapas cerebrais. Quanto mais pobre é a técnica praticada mais o cérebro aprende a realizar esta técnica pobre e mais esta técnica é reforçada no mapa cerebral.

Para as pessoas que se sentem frustradas em relação aos movimentos sempre é possível levantar uma questão, é possível melhorar minha falta de técnica e habilidade motora? A resposta é absolutamente sim! Em termos de habilidades motoras e técnicas esportivas, potencialmente, não há nada que não possa ser mudado, mas não é fácil.

Biologicamente, o cérebro e o sistema nervoso formam os mapas cerebrais através de uma “fiação” de nervos, esse processo é conhecido como potenciação de longa duração (PLD). PLD permite ao cérebro aprender e de formar memórias. PLD é perceptível para quem esta tentando aprender movimentos motores qualificados, seja executando uma rotina de ginástica, acertando uma bola de golfe ou um chute de futebol em torno de uma muralha defensiva no canto superior do gol. As primeiras tentativas de realizar essas atividades são muitas vezes desajeitadas e mal sucedidas, mas a prática continua com uma boa técnica ocorre mais estímulos e formação do potencial de longa duração (PLD) fortalecendo um novo mapa no cérebro que permite a conclusão e memória da tarefa. A prática continuada estimula o aumento PLD e melhora a eficiência dos circuitos nervosos que compõem os “mapas de circulação”, exigindo, portanto, menos e menos esforço e concentração do indivíduo para iniciar e realizar a tarefa. Os movimentos tornam-se mais fácil, mais suaves e talvez até mesmo aperfeiçoados ao longo do tempo. Se perguntarmos a Tiger Woods o que ele pensa quando realiza uma tacada no golf, ele provavelmente responderá, “nada”. Os mapas do cérebro responsáveis pela sua técnica de golfe tornaram-se uma parte dele que ele não precisa mais se concentrar em qualquer aspecto de sua técnica, assim como o slogan publicitário do seu principal patrocinador, ele pode ‘just do it’.

Pilates é uma técnica que utiliza todos estes conceitos de adquirir novas habilidades motoras e aperfeiçoar as que já possuímos, com isto obtemos resultados de eficiência em nosso dia a dia realizando tarefas diárias com mais graciosidade e sem gastos desnecessários de energia e compensações que na maioria das vezes nos lesionam. Na aula de pilates precisamos remover o foco do praticante do eu “presente” através da consciência no treino do movimento. E seria correto ouvir do seu instrutor mova que seu corpo encontra o caminho, como já muito ouvi por aí. A resposta acredito já ter sido dada acima, mas este mover no pilates sem estar amparado por um profissional devidamente habilitado só nos levará a reforçar os nossos mapas cerebrais que já estão reforçados de técnicas pobres de movimentos.

Sendo o Pilates uma fonte de uma melhor funcionabilidade do corpo, adquirir força, confiança, alegria e aprendemos a respeitar e ouvir o que o nosso corpo nos diz, seria correto nos exercitarmos e praticar pilates com pessoas que não tem uma preparação devida da técnica? Para ser instrutor de pilates é necessário muita pratica, estudo, dedicação e acima de tudo uma vontade de querer servir a um bem comum, ajudar nossos semelhantes. Ser fisioterapeuta ou educador físico não capacita ninguém a ser instrutor. E mesmo depois de capacitados na técnica nunca paramos de aperfeiçoar. Portanto, vale à pena procurar por um profissional com uma formação devida, afinal você esta entregando seu corpo, sua aprendizagem motora e preparo físico a uma pessoa que se deveria dedicar-se anos a pratica e aos estudos dos movimentos do corpo humano.

Um comentário em “A prática faz a perfeição?

  1. Otimo texto Alvaro!!

    Adaptações. Posso colocar algo? Qualquer movimento básico de nosso dia-a-dia, se você treina independente da atividade ou rotulo, mas pratica o funcional ( ou seja movimentos básicos do ser humano ) de forma correta , você terá os benefícios!

    Lembrando que falar se funcional pode ter várias definições dependendo do professor que vos fala, mas definitivamente não é musculação em cima de uma bola ou flexão de cotovelo em cima de uma bola.

    abraços Alvaro!

    1. É isso aí mesmo Rafael, obrigado pelos comentários. E lembrando um treino funcional não é o mesmo para todos. Sendo assim, um advogado tem funções que uma dona de casa não possui, portanto um treino funcional para eles deve ser diferente.

Deixe uma resposta