Os pés, nossa base de suporte

pé2

Quando pensamos em exercício, raramente pensamos em nossos pés. Contamos com eles para nos levar para todos os lugares e não prestamos muita atenção a eles até que eles nos falham. A maioria das pessoas calçam seus sapatos e se quer pensam na estrutura que suporta o peso de seu corpo. A atividade mais comum que fazemos além de respirar, é andar e ficar em pé. O pé é a base para o movimento humano, marcha e postura ereta. O pé e o tornozelo são frequentemente as ligações que faltam em muitos desequilíbrios posturais crônicos e disfunções de movimento. Muitos dos exercícios no repertório de Pilates, em particular o trabalho de pernas, pode ajudar a fortalecer os pés e corrigir desequilíbrios.

O nosso pé

.Suporta nosso peso corporal.

.Age como um amortecedor.

.Serve como uma alavanca para impulsionar a nossa perna para a frente enquanto caminhamos.

.Nos ajuda a manter nosso equilíbrio, ajustando o corpo a superfícies irregulares

pés7

O pé é constituído por 26 ossos 33 articulações mais do que uma centena de músculos, tendões e ligamentos. A articulação do tornozelo é formada pela tíbia, perónio e talo. Juntos, esses três ossos formam uma articulação conjunta que é responsável pela dorsiflexão e flexão plantar no plano sagital. A articulação subtalar é formado pelo tálus e calcâneo enquanto a articulação mediotársica é formada pelas articulações entre o calcâneo e ossos cubóide lateralmente e do tálus e osso navicular medial. Estas articulaçãoes são responsáveis pela inversão e eversão no plano frontal.

Existem dois tipos de músculos do pé, extrínsecos e intrínsecos. Músculos extrínsecos são originários da tíbia, perónio ou do fémur (gastrocnémio, sóleo, tibial anterior, etc.) Atuam sobre o tornozelo e outras articulações no pé. A musculatura extrínseca são muito maiores, mais poderosos e mais frequentemente utilizados do que os músculos intrínsecos. Músculos extrínsecos são os motores. Músculos intrínsecos são pequenos e se originam dentro do pé (abdutores do hálux, extensor longo dos dedos, etc.) músculos intrínsecos só agem na articulações dentro do pé. Eles são responsáveis por mover os dedos dos pés, mas são muitas vezes fracos por inatividade causada pelo uso de sapatos. Os músculos intrínsecos são os estabilizadores.

pés6

A maioria das pessoas e atletas aprendem a lidar com os pés da maneira mais difícil. Depois de uma crise dou por alguma lesão. Estas lesões poderiam ter sido evitadas se tivéssemos dado atenção para os os pés. A maioria dos atletas inclusive corredores descobrem a importância de treinar a articulação do pé, depois de terem passado por uma lesão.

Pense sobre a construção da casa de seu sonho sendo feita sobre uma fundação com defeito. Ao longo do tempo a estrutura desmoronaria. Agora vamos pensar sobre seus pés, não são a base do nosso corpo? Problemas no pé como fraqueza e desequilíbrios podem levar a lesões. Além disso, uma mecânica pobre do pé pode causar dor no joelho, quadril e nas costas. Devemos fortalecer a nossa fundação, a fim de manter nosso corpo saudável e forte. No Pilates, o nosso objetivo se concentra sobre o corpo como um “todo” e isso não pode ser feito sem abordar os pés.

O ciclo da marcha é composto por duas fases, a de fase de apoio e balanço. A fase de apoio é o período de tempo que o pé está no chão  60% de um ciclo de marcha é gasto nesta posição. Durante esta posição, a perna aceita peso do corpo e fornece suporte para o membro. A fase de balanço é o período de tempo que o pé está fora do chão, 40% de um ciclo de marcha é gasto na fase de balanço. Essas fases podem ser divididas ainda mais, mas vou parar por aqui. Durante o ciclo de marcha, existem numerosas articulações e nos músculos trabalhando no pé. É importante manter esses músculos e articulações funcionando corretamente e Pilates vai ser um  caminho para ajudar a manter os pés fortes, equilibrados e saudáveis.

pé3

No Pilates trabalhamos os músculos tanto de forma concêntrica e excêntrica. Fortalecemos nossos tornozelos, pés, arcos dos pés contra a resistência das molas, em várias posições. Isto é muito importante para os pés, pois seu desequilíbrio pode afetar os desequilíbrios da marcha. É importante trabalhar os dorsiflexores e flexores plantares e nossos inversores e eversores para garantir que eles fiquem equilibrados.

É importante pensarmos enquanto trabalhamos como nossos clientes sobre função do nosso dos pés em nosso corpo. Os pés apoiam, e carregam nosso corpo e isso nos leva a concluir que eles precisam ser fortes e equilibrados. Os pés estão cheios de músculos, tendões e articulações, e é importante  mantê-los funcionando corretamente. Fraqueza no pé ou tornozelo pode causar problemas em toda a cadeia cinética. Quando um cliente se queixa de dor no joelho, quadril ou dor nas costas, dê uma olhada nos pés e veja se eles podem ser trabalhados. Um pouco mais de força de equilíbrio nos pés pode ser um caminho para corrigir os desequilíbrios posturais e as disfunções do movimento.

Por quê perder a oportunidade de trabalhar uma região tão escondida do corpo mas completa de receptores nervosos e sensitivos. Quer dar consciência cinestesia e espacial para seu  aluno, trabalhe os pés eles precisam de muita vida e força. A grande maioria da população acaba usando sapatos que comprimem, contorcem e deixam regiões dos pés quase que sem vida, o que ocasiona compensações no próprio pé e na em toda a cadeia cinética.

pés5

Este classe desenvolvida para sentimos os pés, despertar os profissionais para a quantidade de exercícios e as várias possibilidades de movimento nos aparelhos de pilates, nos acessórios e no mat. Gostaria de dar vitalidade, confiança e equilíbrio ao seu paciente? Aprenda trabalhar os pés. Gostaria de ver seu cliente com caminhar elegante e altivo? Lembre dos pés.

Deixe uma resposta