google-site-verification=wAaV-yaTzDYxr1NFUT1DUfawrs-b0E6PHZqYCz-aRB0
Menu

Os ácidos em nossa vida.

22/02/2011 - Artigo
Os ácidos em nossa vida.

Quando falamos de saúde física, prevenção, equilíbrio emocional, temos que ter consciência, de que tudo isso depende fundamentalmente, da qualidade de nossas células, que por sua vez dependem do equilíbrio ácido base dos líquidos que banham estas células, tanto dentro como fora delas.

O corpo humano é constituído de aproximadamente 70-80% de água, as substâncias quando dissolvidas em meio aquoso, classificam-se como ácidas ou alcalinas. Substâncias ou meios ácidos são aqueles com excesso de carga positiva, e alcalinos são aqueles com excesso de carga negativa. Para simplificar, usamos uma unidade de medida desta acidez ou alcalinidade que chamamos de “PH”. Assim, existe uma escala de PH que varia de zero a 14, onde:

PH = zero » indica o máximo de acidez ou carga positiva;

PH = 7,00 » indica a neutralidade;

PH = 14 » significa o máximo de alcalinidade ou carga negativa

A faixa ideal de PH do sangue humano (e demais líquidos corporais) está entre 7,35 a 7,42; portanto, levemente alcalino. Esta é a faixa  ideal para que nossas células funcionem com o melhor de suas funções. Oxigênios e nutrientes são processados com uma ótima eficiência, resíduos são excretados com facilidade, o sistema imune funciona muito bem.

Há um fluxo diário muito intenso de oxigênio, dióxido de carbono e íon hidrogênio por todo o nosso corpo. O metabolismo gera CO2, que se dissolve em H2O para formar o ácido carbônico H2CO3 que, por sua vez, dissocia-se formando o íon hidrogênio H+. Apesar das grandes variações na produção de CO2, durante uma atividade física, por exemplo, o PH sanguíneo é praticamente o mesmo, em condições normais.

Basicamente, a manutenção do equilíbrio ácido – base envolve os pulmões, os eritrócitos e os rins. Os pulmões, controlam as trocas de dióxido de carbono e oxigênio entre o sangue e a atmosfera externa. Os eritrócitos, por sua vez, transportam os gases entre os pulmões e tecidos de nosso corpo. Os rins controlam a concentração de bicarbonato,  o qual possui ação de tamponamento, excretando os íons hidrogênio e regula a produção de eritrócitos através da secreção da eritropoetina, um hormônio que estimula a síntese de eritrócitos.

Os pulmões e os rins trabalham de maneira integrada para minimizar as alterações de PH plasmático e podem compensar um ao outro na presença de perturbações. Os distúrbios de equilíbrio ácido-base podem ter sua origem metabólica, respiratória ou mista. Quando um problema ocorre em um dos componentes, o outro busca compensar minimizando as alterações finais nas concentrações plasmáticas de íons hidrogênio.

Quando a concentração de íons H+ no sangue é elevada, temos uma diminuição do PH o que chamamos de acidose, a qual é geralmente classificada como metabólica ou respiratória, classificação esta que dependerá da origem  que promoveu o desequilíbrio. Já a alcalose é o distúrbio inverso, ou seja, há um aumento do PH sanguíneo em virtude da diminuição de íons H+ no sangue, considerado um distúrbio raro em relação ao da acidose.

O exposto acima trata-se do PH sanguíneo, o mesmo é valido para os PH extracelular?

Quando entendemos que o corpo é alcalino por design e ácido por função, então nós entendemos que o corpo precisa de ajuda na manutenção de seu projeto em ser alcalino através de alimentos e bebidas alcalinas e exercícios. Qual é a acidez latente dos tecidos?  É o acúmulo de ácidos pela dieta e / ou ácidos metabólicos que não são devidamente eliminados através dos quatro canais de eliminação – intestinos, rins, pulmões  ou através da pele e são depositados nos tecidos conjuntivos e adiposos. O organismo deve eliminar seus restos alimentares e os produtos metabólicos através destes quatro canais de eliminação ou o sangue vai perdendo a sua estrutura alcalina. O corpo precisa de um suprimento contínuo de alcalinidade para amortecer ou neutralizar os ácidos do meio ambiente, estresse, dieta e metabolismo. Nosso organismo tem um sistema de tamponamento que ajuda a manter a alcalinidade, mas quando este fica comprometido a partir de um estilo de vida mais ácida (dietas, bebidas, sedentarismo, estresses, pensamentos) você começa a ter os sintomas de doenças,  doença metabólica causada por resíduos ácidos. Então, certamente você deve fazer tentativas diárias para aumentar a alcalinidade através da ingestão de água, exercícios e alimentos para prevenir e / ou reverter quadros de predisposição a doenças.

Se o sangue tem a tendência e pode tamponar na tentativa de manter o PH sanguíneo em torno 7,35 como uma pessoa pode ficar com PH acidótico?  Qualquer excesso de acidez na dieta ou metabolismo é eliminado do sangue para os tecidos conectivos para preservar o delicado equilíbrio do PH sangüíneo. A bioquímica em manter a alcalinidade do sangue é bastante extrema. O corpo vai sacrificar todos os outros órgãos e sistemas para manter o equilíbrio do PH do sangue em 7,35. O bicarbonato de sódio é produzido pelo corpo como o 1 º amortecedor de ácido alimentares e / ou metabólicos para manter a alcalinidade do sangue e, em seguida, dos tecidos. Isto foi provado por Alexis Carrel, em seu experimento com frango em 1908. Carrel recebeu o prêmio Nobel por esta pesquisa. Ele foi capaz de manter um coração de frango vivo por 20 anos até que ele decidiu parar e mudar os sais minerais alcalinos na solução que mantinha este coração a cada 48 horas. O que podemos aprender com o trabalho Alexis Carrel é que a saúde das células humanas que compõem tecidos e órgãos só são tão saudáveis como os fluidos alcalinos em que são banhados. A célula humana não pode tolerar baixa alcalinidade e nunca pode tolerar qualquer condição ácida.

O exercício também é crítico em ajudar o corpo a eliminar os ácidos dos tecidos através dos poros da pele, na forma de suor, dentre outras. Quando o corpo não pode remover seus próprios produtos de resíduos ácidos, então, eles são armazenados no tecido adiposo, ou seja, nos quadris, coxas, nádegas, cintura,  mama. O corpo irá embalar mais e mais gordura para armazenar mais ácidos se o estilo de vida  não mudar para um estilo de vida saudável.

Existe um ritmo diário de oscilação para este refluxo ácido/ base, e o fluxo dos fluidos do corpo. Os ácidos armazenados são mobilizados do tecido conjuntivo para os espaços Pishinger enquanto nós dormimos. Estes ácidos alcançam seu ponto máximo de concentração neste fluido e, portanto, a urina duas horas depois que acordamos é a mais ácida. O teor de ácido da urina reflete diretamente o teor de acidez do líquido nos espaços da Pishinger,e os compartimentos de fluido extracelular do corpo. Por outro lado, os espaços da Pishinger tornam-se mais alcalino em torno de duas horas após acordarmos, como então existe mais bicarbonato de sódio NaHCO3, que está sendo gerado pelas células de cobertura do estômago para alcalinizar a comida e a bebida que temos ingerido.Se a sua urina não é alcalina, depois de duas horas que acordamos você está definitivamente em uma condição de acidez e sem reservas alcalinas necessárias para manter o projeto alcalino do corpo. Isto é, quando ocorre uma maior predisposição a ficarmos doentes.

Os ácidos em nossa vida

Infelizmente nosso modo de vida tende a guiar muitos de nós para a acidez.  Alimentos açucarados, refrigerantes, dietas ricas em proteínas, café, álcool, cigarros, sono insuficiente, sedentarismo e estresse podem nos tornar mais ácidos, esta tendência ao consumo de alimentos acidificantes, causam o que os especialistas chamam de stress acidose.

O desequilíbrio se inicia quando o corpo percebe que o sangue está ficando ácido devido a digestão destes alimentos, e começa a combater o meio ácido com minerais alcalinos para estabelecer novamente o equilíbrio: sódio, potássio, magnésio e cálcio – sendo estes minerais de vital importância em alguns órgãos ou sistemas. Assim o corpo enfraquece, desequilibra e adoece para manter o pH correto do sangue.
O problema é que o pH ácido impede o corpo de curar-se de qualquer outro desequilíbrio, pois o meio ácido impede a absorção de vitaminas, minerais e nutrientes. Assim, a energia das células é reduzida, e todo o sistema torna-se cada vez mais ineficiente. O corpo começa a apresentar fadiga, não consegue reparar células doentes e fica cada vez mais suscetível a doenças.

Considere isto: a coca cola possui muito acido fosfórico o que lhe dá um PH muito ácido. Para nos proteger disto, nosso corpo neutraliza e dilui este acido com minerais e água.

Manter o corpo sobre os aspectos da acidez é uma coisa séria. È o início de muitas coisas perigosas para a saúde. Uma lista de sintomas inclui: fadiga, dor e inflamação das articulações (artrite) e dos músculos, fraqueza muscular, aumento do ácido lático, diminuição da densidade óssea, dificuldade de relembrar, concentrar e aprender as coisas, doenças do coração, aumento da pressão arterial, asma, freqüente infecções virais, dores de cabeça, náuseas e vômitos, hiperventilação, retenção de líquidos, mudanças na visão, gengivas sensíveis, irritação da bexiga e do trato urinário, aumento da sensibilidade,unhas finas e quebradiças, cabelos secos e quebradiços, pele seca, câimbras nas pernas,envelhecimento precoce.

Para evitar isso, o PH do sangue pode ser ajustado com uma alimentação correta, com alimentos alcalinizantes, hábitos de vida saudáveis, atividades físicas principalmente aquelas que ajudam o corpo a aumentar a concentração.

Não somos especialistas no assunto, apenas descrevemos o que estudamos com a finalidade de ajudar nossos alunos e clientes e direcioná-los a especialistas que possam orientá-los. O que relatamos foi apenas um resumo de artigos científicos que lemos, aconselhamos que as pessoas à consultarem seus médicos ou nutricionistas afim de adequar sua dieta para uma melhor qualidade de vida.

Nosso interesse no assunto surgiu quando lemos uma revista americana que relatava o trabalho com Pilates na ajuda para reverter esta acidificação na alimentação dos americanos.

Referências

1 Diet-induced acidosis: is it real and clinically relevant? British Journal of Nutrition Cambridge University Press; Joseph Pizzornoa, Lynda A. Frassettoa and Joseph Katzingera

2 Acid-Mediated Tumor Invasion: a Multidisciplinary Study; Cancer Research 66, 5216-5223, May 15, 2006; Robert A. Gatenby, Edward T. Gawlinski, Arthur F. Gmitro, Brant Kaylor and Robert J. Gillies

3 The Potential Role of Systemic Buffers in Reducing Intratumoral Extracellular pH and Acid-Mediated Invasion; Cancer Research 69, 2677, March 15, 2009; Ariosto S. Silva, Jose A. Yunes, Robert J. Gillies and Robert A. Gatenby

4 Alkaline Mineral Supplementation Decreases Pain in Rheumatoid Arthritis Patients; The Open Nutrition Journal, 2008, 2, 100-105; Regina Maria Cseuz, Istvan Barna, Tamas Bender and Jurgen Vormann

5 Treatment with Potassium Bicarbonate Lowers Calcium Excretion and Bone Resorption in Older Men and Women; The Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism Vol. 94, No. 1 96-102; Bess Dawson-Hughes, Susan S. Harris, Nancy J. Palermo, Carmen Castaneda-Sceppa, Helen M. Rasmussen and Gerard E. Dallal

6 Minerals and Disease; Journal of Orthomolecular Medicine Vol. 10, No. 3 & 4, 1995; Joseph D. Campbell

7 Preservative Effect of Electrolyzed Reduced Water on Pancreatic b -Cell Mass in Diabetic db/db Mice; Biol. Pharm. Bull. 30(2) 234—236 (2007); Mi-Ja KIM, Kyung Hee JUNG, Yoon Kyung UHM, Kang-Hyun LEEM, and Hye Kyung KIM

8 The Effect of Acid/Alkaline Nutrition on Psychophysiological Function; Int J Biosocial Res. Vol.

9 (2); 182-202, 1987; Rudolf A. Wiley9Severe Osteomalacia Associated with Renal Tubular Acidosis in Crohn’s Disease; Digestive Diseases & Sciences, Vol 31, No 3, March 1986; Rui MM Victorino, Margarida B Lucas, Miguel Carneiro de Moura

10 Metabolic acidosis of CKD: diagnosis, clinical characteristics, and treatment; American Journal of Kidney Diseases, Volume 45, Issue 6, Pages 978-993 J. Kraut, I. Kurtz11Lean Tissue: Alkaline diets favor lean tissue mass in older adults; American Journal of Clinical Nutrition, Vol. 87, No. 3, 662-665, March 2008; Bess Dawson-Hughes, Susan S Harris and Lisa Ceglia

8 opiniões sobre “Os ácidos em nossa vida.

jose roberto pivato

a causa do sofrimento e a falta de esclarecimento muito obrigado jose roberio pivato abraços

Resposta
    alvaroalaor

    Nós é que agradecemos, José Roberto.

    Resposta
      Cornelia

      I wanted to spend a mitune to thank you for this.

      Resposta
        Foto de perfil de alvaroalaor
        alvaroalaor

        Thank you, is always welcome in our blog!

        Resposta
    Carlie

    You have the monopoly on uesufl information—aren’t monopolies illegal? 😉

    Resposta
      Foto de perfil de alvaroalaor
      alvaroalaor

      (Risos laugh) We studied to better serve our patients and customers and democratize information. Thanks for visit!

      Resposta
    Eduardo

    Pergunto que influencia teria o carater acido ou alcalino dos alimentos no pH do sangue se o pH do estomago ja é extrememente acido. O acido clorídrico produzido no estomago é essencial para a digestao dos alimentos.

    Resposta
Terry

It’s like you’re on a msiison to save me time and money!

Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas