Estamos sendo eficientes em realizar exercícios abdominais? (parte I)

as

O fortalecimento dos músculos abdominais tanto interessa ao público em geral como às pessoas que se ocupam da reabilitação. Não é raro ouvirmos dizer que uma pessoa precisa fortalecer os abdominais para melhorar as dores na coluna, assim como, um apelo enorme da mídia em apresentar corpos com abdômen chapado. Todavia, pessoas que possuem os músculos abdominais fortes apresentam dores lombares em conseqüência de tratamento impróprio.

Não é raro, programas de fortalecimento para este grupo muscular contribuírem, na realidade, para os desequilíbrios musculares e para síndromes dolorosas. O aspecto mais importante em relação ao desempenho dos músculos abdominais consiste em obter o controle necessário para: 1) estabilizar devidamente a coluna; 2) manter o melhor alinhamento possível e relação ideal entre os movimentos de pelve e coluna; 3) evitar o excesso de estresse e os movimentos compensatórios da pelve durante os movimentos dos membros.

Seguindo os apelos feitos pela mídia, muitas pessoas executam diversas formas de flexão, rotação de tronco e de exercícios abdominais; o que faz com que os músculos retos abdominais passem a ser os músculos dominantes. A dominância dos músculos retos abdominais compromete a função dos músculos oblíquos, principalmente os oblíquos externos. A desvantagem neste fato ocorre porque o reto abdominal não pode ser capaz de produzir ou de prevenir a rotação, e o encurtamento ou rigidez desse músculo favorece a cifose da coluna torácica.

Além disso não se trabalha o transverso do abdômen que é um músculo estabilizador da coluna lombar graças a sua inserção na fáscia toracolombar. Este músculo é primeiro da parede abdominal a ser ativado para a estabilização postural durante os movimentos de membros superiores ou inferiores quando estamos em pé. Também é comum nesses exercícios hiperativamos o músculo iliopsoas. A contração indevida deste músculo ocasiona forças de cisalhamento e de compressão anteriores nas vértebras. Muitas pesquisas suportam a idéia que o psoas é ativado mais intensamente que os músculos abdominais durante os exercícios abdominais quando estes falham em manter a contração por uma exigência maior que a carga que suportam. Um erro muito comum durante a flexão de tronco consiste na falta de compatibilidade entre a força de quem os executam (músculos abdominais)e as exigências impostas pelo exercício.

Acredito que a melhor forma de instruir e realizar estes exercícios sejam primeiramente realizando uma avaliação criteriosa com profissional experiente. A determinação correta desses exercícios e a instrução correta na respectiva técnica de quem os executam são medidas indispensáveis para prevenir traumas na coluna.
Próximo artigo relato mais detalhes sobre os músculos abdominais.

 

Alvaro Alaor

Referências
Cresswell AG, Oddson L, Thorstensson A: The influence of sudden perturbations on trunk muscle activity and intraabdominal pressure while standing, Exp brain Res 98:336, 1994.
Hodges PW, Richardson CA: Contraction of the abdominal muscle associated whith movement of the lower limb, Phys Ther 77:132, 1997
Santaguida P, McGill SM: The psoas major muscle: a three-dimensional geometric study, J Biomech 28:339, 1995.
Kendall F, McGreary FK, Provance P: Muscles testing and function, Baltimore, 1993.

Deixe uma resposta