Tratamento para lesões da medula espinhal

 

Pesquisadores desenvolveram um novo e inovador tratamento, que poderá ajudar a minimizar danos nos nervos nas lesões da medula espinhal, promover a cicatrização do tecido e minimizar a dor.

A medula espinhal é o caminho mais importante para veicular uma informação da pele, músculos e articulações para o cérebro e vice-versa. Danos às células nervosas nessa região geralmente resultam em paralisia irreversível e perda de sensação. Por muitos anos, os cientistas têm feito o seu melhor para apurar por que as células nervosas se recusam a se regenerar. Eles procuram maneiras de estimular essas células para retomar seu crescimento.

 

Depois de uma lesão na medula espinhal há um aumento na produção de uma proteína (RhoA) que bloqueia a regeneração de células nervosas que transmitem sinais ao longo da medula espinhal e evita que o tecido lesado se cure.

 

Cientistas desenvolveram uma molécula de síntese química siRNA que diminui a produção da proteína RhoA quando administrado à coluna e permite a regeneração das células nervosas.

 

“É excitante porque este tratamento minimamente invasivo pode alvejar seletivamente o tecido lesionado e, assim, promover a cura e reduzir a dor”, diz Martin Grumet, diretor do Centro Keck e principal autor de um estudo recente publicado no Journal of Neurotrauma.

 

A dor neuropática, também conhecida como dor fantasma que ocorre como resultado de uma lesão da medula espinhal é freqüentemente associada com um aumento da produção de RhoA. Quando os pesquisadores injetaram a substância de síntese química molecular na medula espinhal de ratos de laboratório com lesões na medula espinhal através de um procedimento semelhante a uma punção lombar, houve uma melhoria global na recuperação e cicatrização dos tecidos.

 

Mais de 250.000 pessoas nos Estados Unidos estão vivendo com uma lesão medular e, atualmente, não há nenhuma maneira de reverter os danos.Nenhuma droga para o tratamento precoce de lesões da medula espinhal foram aprovados em mais de uma década. Com base nesta investigação conjunta, Quark Pharmaceuticals Inc tem agora um programa para o desenvolvimento de drogas para o tratamento da lesão medular e dor neuropática.

Isso é uma esperança para todos nós que trabalhamos com reabilitação e principalmente para os pacientes que muitas vezes são obrigados a conviver com uma nova realidade de vida. Esperamos que em breve possamos contar com esta ajuda na recuperação de pacientes com lesões medulares.

 

Abstract http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21443453

imagem 

Deixe uma resposta