Desordens intra articular no quadril de atletas, parte I.

Existe uma tendência na aderência da população em praticar esportes. Com este aumento, segue também o aumento de injurias nos atletas. A articulação do quadril é descrita na literatura como tendo uma participação de 14% na população considerada atleta. Uma melhor distribuição de peso através da articulação, assim como, uma melhor função é crucial para melhorar e favorecer a participação nos esportes. A articulação do quadril é importante em esportes como corrida, jumping ou esportes que envolvem muitos saltos e chutes (Boyed et al. , 1997) A articulação do quadril também contribui para uma melhor geração e transferência de forças nas extremidades superiores. A articulação do quadril é considerada uma articulação estável devido a sua arquitetura óssea e os músculos que a envolvem.

Nos próximos artigos vou relatar sobre esta articulação destacando algumas desordens nesta articulação principalmente em atletas e tentarei laçar uma luz sobre o potencial no tratamento conservador e na prevenção destas lesões.hipjointbones

bonyacetabulum

Anatomia da articulação do quadril.

acetabulumA articulação do quadril é multiaxial tipo bola soquete, é uma articulação sinovial formada entre a cabeça do fêmur e a fossa acetabular na pélvis. O arco do acetábulo possui um defeito inferiormente no encaixe acetabular, que é superado pelo ligamento transverso acetabular. A cabeça do fêmur forma aproximadamente dois terços de uma esfera sendo coberta por uma cartilagem hialina. A profundidade do acetábulo é aumentada pelo labrum fibrocartilaginoso acetabular. O labrum acetabular é mais fino na parte ântero-inferior e normalmente mais espessa e ligeiramente arredondada na parte posterior. O labrum acetabular é inervado por terminações nervosas , especialmente nas zonas mais superficiais( Kim na Azuma, 1995). O labrum possui sinais de dor e de propriocepção da mesma forma e semelhantes aos meniscos no joelho, foi o que concluiu alguns pesquisadores. A articulação é inervada pelo nervo obturador, femoral, isquiático e nervo glúteo superior e recebe suplemento sanguíneo através das artérias circunflexas lateral e medial ( Anderson et aL., 2001).hip_joint

Biomecânica

iStock_000004845744Small

Trinta e dois músculos cruzam o quadril, a fim de estabilizar a articulação e mover o fêmur durante a locomoção. Durante esta atividade a articulação é submetida a grandes forças. Sendo estimado que 1,6 × o peso do corpo atravesse esta articulação durante uma caminhada lenta. Quando corremos, isto aumenta para 5× o peso corporal na fase de apóio e 3× na faze de balanço (Morris,1971). Esta carga ocorre em resposta a reação do solo como também as forças musculares (Krebs et al., 1998). O quadril também é submetido às forças de impactos do calcanhar. Esta forma de carga difere das demais forças internas supracitadas, devido a sua natureza mais dinâmica, que introduzem variáveis como duração, freqüência e ritmo das mudanças (Sins,1999). As forças de impacto podem ser divididas em simples ou repetitivas. As forças de impacto simples podem levar danos na cartilagem articular e na região subcondral do osso sem danos aos tecidos moles em volta ( Buckwalker and Lane, 1997). Isso ocorre durante um escorregão ou tropeção que tem o potencial em exceder 8× o peso corporal ( Bergman ET AL., 1993). Uma carga desta magnitude pode danificar ossos, cartilagem e e o labrum acetabular dependendo da posição adotada no momento do incidente (Sims, 199).

Repedidas cargas de impacto podem contribuir para produzir micro fraturas sub-clínicas subcondral no osso. Além disso, repetidas cargas de impacto podem ativar ossificação secundária, que gradualmente aumentam as forças de cisalhamento nas camadas mais profundas da cartilagem articular (Walker, 1998). Conseqüentemente, ocorre perda de proteoglicanos, e rachaduras horizontais e verticais da cartilagem (Walker, 1998).

Alvaro Alaor

5 comentários em “Desordens intra articular no quadril de atletas, parte I.

  1. Olá .. só gostaria de dizer que achei muito interessante o artigo e que esta me ajudando muito em um trabalho sobre articulações sinoviais na universidade, obrigado.

  2. Boa tarde,
    ótimo artigo, poderia postar a bibliografia completa que embasou seu estudo?
    Muito obrigado
    Novamente, muito bom artigo!!!

Deixe uma resposta