Como melhorar a propriocepção

O que exatamente é propriocepção? Você pode chamar de sentido do corpo ou consciência cinestésica, mas, é a capacidade do cérebro para detectar as posições relativas e movimentos das diferentes partes do corpo. Devido a propriocepção, você sabe exatamente onde sua mão está no espaço como você a move, mesmo que seus olhos estejam fechados.

Todos os movimentos coordenados dependem de propriocepção. Quando a propriocepção é comprometida, digamos, em uma doença neurológica ou durante uma embriaguez, atividades aparentemente simples como caminhar ou até mesmo ficar em pé podem tornar-se incrivelmente difícil. Deveria ser óbvio que o movimento em um atleta de elite ou em um dançarino exige um nível de sentido corporal muito acurado. Por exemplo, não há nenhuma maneira de conseguir um backflip em uma trave de equilíbrio, sem saber exatamente o que seu corpo está fazendo em todos os momentos. A eficácia e acuraria de percepção espacial do corpo também é essencial para se sentir bem e estar livre de dor. Como discutiremos abaixo, os problemas com propriocepção podem ser uma importante fonte de dor.

Melhorar a sua propriocepção é um excelente objetivo para quem quer melhorar o desempenho esportivo ou reduzir quadros de dor. Segue-se uma discussão sobre como a propriocepção funciona, por que é importante, e como ele pode ser mudada para melhor ou pior.

homonculo1O cérebro mapeia o corpo

A chave para entender a propriocepção são os mapas corporais. Os mapas do corpo são as partes do corpo que são organizadas no cérebro de tal forma que representam as diferentes partes do corpo, assim como linhas no mapa representam estradas. Cada parte do corpo tem uma área separada no cérebro dedicada à detecção de movimento da parte correspondente no corpo. Então, nós temos as mãos, e nós temos as mãos virtuais no cérebro – partes do cérebro que representam o tamanho, forma e posição das mãos. O cérebro vai também vai dedicar espaço para a representação de objetos inanimados que precisamos e sentir e controlar, como uma raquete de tênis, um chapéu, um teclado de computador.

Partes do corpo se comunicam com os seus homólogos virtuais na seguinte maneira. Há milhões de órgãos microscópicos chamados mecanorreceptores localizados em todo o corpo. Quando eles são estimulados por uma força mecânica, eles enviam um sinal através do sistema nervoso para a parte do cérebro dedicada à detecção dessa parte do corpo. O cérebro reúne todos esses sinais das diferentes e inumeráveis fontes ​​e determina exatamente onde tudo esta e o que está fazendo. Em essência, o cérebro cria inúmeros mapas do corpo que ele usa para decidir o que está acontecendo e como se mover.

Bom movimento exige bons mapas corporais

Porque o cérebro usa o mapa para tomar decisões sobre como se mover, é óbvio que ter o melhor e mais detalhado mapa teremos o melhor e mais preciso movimento. Por outro lado, se o mapa não é claro a navegação das diferentes possibilidades de movimento será instável.

Estes pontos são ilustrados pelo fato das partes do corpo que possuem maiores exigências de movimentos têm mapas maiores. Por exemplo, a mão é capaz de movimentos e sensações extremamente complexas e diferenciadas, e o cérebro dedica uma grande área de detecção e para controlar suas funções. Por contraste, o cérebro dedica muito pouco espaço para o mapeamento de áreas do corpo que não tem muita capacidade de movimento ou sensibilidade, tal como o meio das costas ou do cotovelo. Se você fizer um desenho do corpo humano com cada parte do corpo ser do tamanho de sua contraparte virtual no cérebro, o que seria apresentado seria uma figura hedionda que é chamado de homúnculo.

Outra indicação de que os mapas são essenciais para a coordenação é que eles realmente crescem mais quando colocados sob demanda. Por exemplo, a parte do cérebro de um músico que detecta e controla os dedos na verdade é visivelmente maior do que a contrapartida de uma pessoa que não usa muito suas mãos.

Mapas confusos podem causar dor

Mapas precisos também tem consequências importantes para o que sentimos. Pesquisadores descobriram que eles podem causar dor em pessoas, criando ilusões sensoriais inusitadas usando espelhos ou outros truques de percepção. Estas ilusões efetivamente criam uma “incompatibilidade sensório-motor”, um conflito na informação representada pelos mapas cerebrais. O resultado é muitas vezes a dor. Com base destes e de outros experimentos, muitos especialistas acreditam que as lacunas, manchas ou outras imprecisões nos mapas cerebrais do corpo podem ser um fator que contribui significativamente em muitas condições de dor crônica , e que a modificação desses problemas é um caminho potencial para curar a dor.

Um dos exemplos mais dramáticos dos problemas potenciais resultantes de um mapa confuso é um fenômeno chamado de dor do membro fantasma. Muitas pessoas com um braço amputado ou perna possuem uma sensação de dor em seus membros amputados, muitas vezes insuportável. Isso ocorre porque, mesmo faltando o braço, o braço virtual no cérebro vive, e pode ser estimulado por “conversas” cruzadas de atividade neural nas proximidades. Quando isso ocorre, o cérebro fica confuso, e cria uma sensação de que o braço amputado é incrivelmente real e muitas vezes extremamente doloroso. Um tratamento incrível para a dor do membro fantasma envolve a colocação do membro restante em uma caixa de espelho em forma que engana o cérebro em pensar que o membro perdido está vivo e bem! Você pode estar inclinado a pensar que é como uma merda de Matrix ou Avatar. Este fato também é usado em tratamento de lesões, quando ainda não podemos mobilizar o mebro lesionado, o que chamamos de mobilização cruzada, eu uso bastante em fase muito aguda de lesões.

Os mapas são construídos pelo movimento

Os mapas são constantemente atualizados para refletir as demandas atuais. Você consegue perceber as mudanças em seus mapas instantaneamente, fazendo um experimento simples. Tente imaginar ou sentir a forma exata e a posição de suas orelhas. Agora esfregue apenas a orelha esquerda por alguns segundos e depois compare a sua capacidade de sentir a orelha esquerda e à direita. Você vai notar que é muito mais fácil de sentir a esquerda. A razão é simples quando você toca o ouvido é ativado seus mecanorreceptores, que enviam um sinal para o cérebro, o que ativa o mapa para essa área. É claro, a clareza adicional de percepção é apenas temporária.

A fim de tornar as mudanças para a longo prazo e de forma permanente nos mapas, você precisa colocar demandas em que no mapa de forma consistente por um longo período de tempo. Lembre-se que os músicos realmente têm maiores mapas digitais do que outras pessoas. Quando uma determinada parte do corpo ou movimento é usada repetidamente, de forma coordenada e com atenção plena, há mudanças físicas reais observáveis ​​na parte do cérebro que controla essa parte do corpo ou movimento. Esta é razão pela qual você fica melhor em tudo que você pratica.

É claro, nem todos os movimentos são iguais na sua capacidade de estimular os mapas do corpo. Movimentos que são mais susceptíveis de provocar alterações na qualidade dos mapas são movimentos que são curiosos, que exploram o ambiente, ricos em estímulos sensoriais, lentos , suaves, conscientes, não dolorosos.

A falta de movimento vai reverter esse processo. Se você não conseguir se mover de uma certa maneira, por um período de tempo, você perde a capacidade de sentir e controlar o movimento com precisão. Isso é chamado de amnésia sensório-motor . Os mapas do corpo no cérebro começam falhar, ficarem imprecisos, menos claro. Se uma fita prender três dedos de um modo que faz com que eles se movam como uma unidade por vários dias, o cérebro irá começar a representar os dedos, como uma unidade, e não como três partes separadas que são capazes de movimentos individuais. Nós esperaríamos mapa com semelhante obscuridade ocorra quando a pelve ou na coluna vertebral não é movido através da sua gama completa de opções. Após anos de negligência, todo o meio se move como um grande bloco, o que é típico quando pedimos um machão para dançar. A lição é mover ou perder o seu mapa.

A dor é ruim para os mapas

Outra maneira de perder a qualidade de seus mapas cerebrais é se machucar. A dor reduz a capacidade do cérebro de processar informações proprioceptivas provenientes de uma articulação lesionada, porque o cérebro fica ocupado ouvindo os sinais de dor, o que naturalmente são de alta prioridade. Os sinais de dor efetivamente ocupam as vias que sinalizam os sinais proprioceptivos, tornando os movimentos pobres.

A dor também tenderá a reduzir o movimento na articulação lesionada, o que reduz ainda mais a informação proprioceptiva vinda das articulações. A perda de informações proprioceptiva pode conduzir a uma degradação da qualidade do mapa (amnésia sensório-motora). Assim, as lesões podem causar um potencial ciclo vicioso – dor reduz o movimento, o que reduz a coordenação, o que reduz ainda mais o movimento e provoca mais dor, e assim por diante. Esta é uma das razões que uma pessoa pode sofrer entorse repetidamente do mesmo tornozelo.HOMUNCULO2

Como melhorar a propriocepção

Então, o que você pode fazer com esta informação valiosa? Em primeiro lugar, entenda que mover bem e sentir-se bem são eventos tanto mentais como eventos físicos. A saúde dos corpos virtuais no cérebro são tão importante quanto os corpos reais (e alterá-los muitas vezes é mais rápido e mais fácil também.)

Em segundo lugar, fazer com que a dor não seja uma prioridade. Mesmo que sinta uma pequena dor que não o está impedindo de fazer o que você quer fazer, ela está impedindo você de alcançar seu potencial, porque se você quer ou não, o seu cérebro não está dedicando sua atenção total para você fazer um movimento de forma coordenada – ele tem outras prioridades e está reorganizando seus padrões de movimento abaixo de sua consciência.

Em terceiro lugar, se envolver em gostar de mover, esteja presente, consciente, interessado, explorando seu corpo, curioso,sentindo, brincando , livre dor livre se possível. Esqueça seu celular, suas preocupações na porta de entrada da aula. Encontre todas as maneiras que as articulações podem se mover deitado, sentado e em pé. Então vamos fazer aulas que explore o corpo em diversas posições, que mude a sua relação o tempo todo com a gravidade.

 

Então nessa fase você pode perguntar é por isso que quase nunca repetimos os exercícios, e por isso mesmo não seguimos uma ficha. Sim, exatamente por isso que tentamos a cada aula explorar o corpo em diversas amplitudes, posições, de variadas maneiras e mesmo que o movimento possa parecer diferente aos olhos de uma pessoas não técnica, muitos são fisionomicamente e biomecanicamente repetidos. Assim sendo quanto mais aula fazemos na semana de maneira concentrada, estando presente, sentido e percebendo o seu corpo mais estamos trabalhando nossa longevidade e jovialidade.
Alvaro Alaor
aa49mini

 

SHIS QI 13, Bloco E, salas 13/14, Lago Sul, Brasília. Fone: 9385-3838


Deixe uma resposta