Atletas: porque treinar Postura

Os componentes de uma boa postura e sua importância para os atletas

Afim de realizar quase todas movimentos desportivos, um atleta muda de uma posição para outra com velocidades diferentes e com durações diferentes. O componente subjacente que lhes permite fazer isso é a postura. Isto pode ser estático, mas é na maior parte dinâmico. A fim de mover-se rapidamente, ou para manter essas posições por mais tempo, a postura do atleta deve estar correta. Isto permite uma eficiência de movimento que então se torna econômica, e principalmente evita fadiga desnecessárias e lesões.

Movimento eficiente e econômico significa que o atleta pode se mover mais rápido e pode conservar energia para depois realizar outro movimento. Movimento ineficiente significa que o atleta tem mover mais para compensar a má postura; Isso leva tempo e requer mais trabalho. Menos energia estará disponível para um novo movimento por exemplo ao final de uma partida. Aí esta o ponto  ponto onde um atleta chega com mais energia e outro chega mais cansado.

No entanto, os atletas não vivem em um vácuo. Eles treinam e também trabalham, estudam  têm família. Os atletas profissionais podem não ter pressões de trabalho ou estudos, mas eles tiveram antes que se tornarem profissionais. Atividades de vida diária, como dirigir, escrever, comer, estudar, jogar jogos de computador, mensagens de texto e horas gastas em sites de mídia social afetam a postura dos atletas antes mesmo de virarem para o campo de treinamento.

O treinador tem duas opções: ele pode começar a corrigir o problema subjacente; ou iniciar o treino dos atletas normalmente. A primeira leva tempo e é uma outra coisa a acrescentar à lista de prioridades do preparo físico. O segundo é cheio de riscos; com sobrecarga de posições prolongadas, fracas e ineficientes que provavelmente vai levar a lesões.

O que é uma boa postura?

Uma boa postura é muitas vezes considerado como uma posição estática ou posição sentada. Isto pode vir de diagramas ou ainda imagens que mostram um ponto fixo no tempo ou lugar. No entanto, “a boa postura é o estado de equilíbrio muscular e esquelético que protege as estruturas de suporte do corpo contra lesão ou deformidades progressivas independentemente da atitude em que essas estruturas estão trabalhando ou descansando. 

O ponto importante desta definição é que ela é “independentemente da atitude”. Então isso significa que você pode ter uma boa postura na corrida, salto, mergulho, caindo em combate, por exemplo.

Os ajustes sutis necessários para manter a forma correta às vezes são chamados oscilação postural. Isto ocorre no corpo constantemente para que ele se adapta às exigências do meio ambiente circundante, de modo a manter uma postura correta. A demanda por maior desafio que enfrentamos o tempo todo é a gravidade. Mas, no esporte, ele também pode ser adversários, equipamentos, superfícies e os requisitos técnicos. Por exemplo, um jogador de râguebi vai enfrentar um adversário tem de ser capaz de manter a postura correta para garantir que possa proteger sua cabeça e fazer um ataque. Eles têm que ajustar de acordo com a superfície e a velocidade, o sentido de deslocação e de tamanho do oponente.

Tipos de posturas ‘ruins’

postura1

Como nosso modo de vida afeta nossa postura

O estilo de vida tem um grande impacto na postura. A inatividade é predominante na cultura ocidental. Adultos e crianças vão passar a maior parte do seu dia na posição sentada ou seja, no trabalho debruçado sobre uma mesa ou em um computador, na escola largado na cadeira(4,5).

Enquanto os problemas de saúde, obesidade e cardiovasculares causados ​​pelo estilo de vida sedentário são bem estudados, os efeitos de ficar sentado por muito tempo também afetam a postura. . A má postura pode levar a dor lombar e a incidências desta em escolares variam de 20 a 51%.

Fatores de risco para dor lombar incluem: fraqueza muscular abdominal, adotar a posição sentada por um tempo prolongado, postura espinhal defeituosa e ter um mobiliário  escolar com uma dimensão errada para a criança. É óbvio que ter dor lombar vai limitar a participação desportiva.

Impacto no desempenho esportivo

No desenvolvimento de atletas é importante estar ciente das exigências da movimentos repetidos e prolongados durante o treinos  com gestual assimétrico e repetitivo. Ginastas são um exemplo de atletas que praticam extensivamente e repetitivamente o gestual desportivo. A postura comum adotada por eles é mais lordotica devido a pratica repetida dos mesmos movimentos, por exemplo praticar o salto e aterrissagens durante a dança no chão. Além disso, devido à sua flexibilidade, uma grande quantidade de ginastas ficam com pernas arqueadas. Uma região lombar muito flexível que enfatiza a postura mais lordótica. Dor nas lombar (junto com a dor do pulso) são lesões comuns e fonte de queixas comum em  ginastas.

A questão é se esse problema é devido ao treino prolongado ou devido à sua má postura. É a repetição de saltos, aterrissagens e apoios ou é devido a ficar de pé e sentado em posições pobres? Esta é uma pergunta difícil de responder devido aos problemas de concepção de um tal estudo. É difícil isolar os fatores que contribuem. Um estudo olhando se a ginástica afetada taxas de crescimento e de maturação considerou provável, mas não poderia prová-lo substancialmente, devido a muitos outros possíveis fatores que contribuem.

Má postura pode afetar a capacidade de resistência. Os músculos do tronco que são responsáveis ​​pelo controle postural e estabilização do tronco também são usados ​​para a respiração. Um estudo com remadores observou como posturas diferentes afetam a função pulmonar. Os pesquisadores compararam a pressão respiratória dentro dos pulmões (PEmax) e também da pressão expiratória máxima (PEM) em ambos sentado com apoio e sentado sem apoio. Houve um declínio 3-9% em P Emax em posturas sem apoio em relação aqueles sentados na vertical com encosto e um declínio de 4-7% da PEM.

Os investigadores acharam que isto se devia provavelmente à co-contração dos músculos posturais necessários para apoiar o corpo, esta co-contração não foi tao efetiva na postura sem apoio. Isto significava que estes músculos eram menos capazes de ajudar com a respiração. Isto mostra, em parte, como postura pode afetar a respiração. Uma pesquisa mais a frente pode ser feita mostrando como o treinamento postural poderia melhorar o desempenho dos remadores, colocando-os em posições mais eficiente pelo qual os músculos do tronco poderiam ser usadas de forma mais eficaz na respiração.

É melhor prevenir do que remediar

Atletas em desenvolvimento que desenvolvem má postura e dor nas costas provavelmente vão permanecer com estas dores em idade adulta, a menos que os problemas posturais sejam identificados e corrigidos (24,25). Em vez de passar a vida inteira no sofá (ou fora do esporte) é muito melhor pôr em prática um programa de treinamento e estilo de vida que impede a má postura.

Isso não significa apenas fazer “exercícios corretivos”, mas sim fazer exercícios corretamente. Por exemplo, se a coluna torácica é apertado, então fazendo supino e agachamento frontal vai te mais forte.

O mesmo se aplica à formação técnica no desporto; é melhor investir na qualidade do movimento quando se aprende uma nova habilidade, ao invés de ficar uma melhoria a curto prazo no resultado e ter que corrigir isso mais tarde.

Costuma-se dizer que a gravidade é nosso inimigo e que não somos projetados para ser bípede, de modo a má postura é inevitável.A maioria das pessoas têm uma boa postura no início da vida e, em seguida, estilo de vida tem um efeito negativo e o esporte pode agravar isso, principalmente quando ele usa movimentos repetitivos.

A postura é tanto dinâmica quanto  estática e eles estão inter-relacionados. Má postura estática pode desenvolver gradualmente ao longo do tempo e isso leva a adoção de posições ineficientes (31). Isso é uma posição ideal para o movimento dinâmico ser pobre e com problemas biomecânicos. Jovens em posições pobres vai agravar seus problemas ou continuar a má postura na vida adulta.

Ao fazer um atleta consciente de sua postura que pode então começar a trabalhar nele. Atividades diárias devem ser abordadas, como não gastar tempo prolongado sentado ou deitado.

Por último, o treinamento também deve melhorar a postura e o equilíbrio nunca não inibi-los. Quando você pode mover-se bem e com eficiência isso irá aumentar a sua capacidade desportiva, e eficiência durante seu jogo.

aa49mini

 

SHIS QI 13, Bloco E, salas 13/14, Lago Sul, Brasília. Fone: 61-3365-4751 e 9385-3838 

 

 

Referências

1. Food and Nutrition Research, 48 (3) 108-113 (2004).

2. British Journal of Sports Medicine 43 (2) 81-83 (2009).

3. Medicine & Science in Sports & Exercise, 41 (5) 998- 1005 (2009).

4. Quiropraxia e Osteopatia 15: 1 (2007)

5. Rev Rhum Engl Ed 66 (7-9) 381-388 (1999)

6. Eur Spine J. 8 (6) 429-438 (1999)

7. Am J Public Health 82 (4) 606-608 (1992)

8. Spine 22 (10) 1132-1136 (1997).

9. Eur Spine J.13 (8) 663-679 (2004)

10. Ergonomia 38 (9) 1932-1940 (1995).

11. Pediatric Ciência do Exercício 15, 360-372 (2003).

12. Med Sci Sports Exerc. 23,186-193, (1991)

13. European Journal of Applied Physiology. 99 (5): 457- 66. (2007)

14. Jornal de Eletromiografia e Cinesiologia 20 (4), 701-709 (2010).

16. Phys Ther. 80: 276-91 (2000).

17. Phys Ther. 86: 1075-1090 (2006).

18. J Orthop Sports Phys Ther. 37 (11): 658-660 (2007).

19. Br J Sports Med 44: 376-381 (2010).

24. Eur Spine J. 5 (5): 312-318 (1996).

20. Eur J dor. 8 (3): 187-199 (2004).

21. Spine 34 (10) 1046-1051 (2009).

22. J Neurophysiol 104, 1090-1102 (2010).

Deixe uma resposta